Para onde ir?

Atendimento de jovens em uso abusivo de álcool e outras drogas em Belo Horizonte

“Para onde ir” é um infográfico interativo que apresenta os principais equipamentos voltados ao atendimento de adolescentes e jovens em uso abusivo de drogas na cidade de Belo Horizonte. Indica também alguns dos fluxos mais comuns entre esses serviços, que estão ligados à saúde e à assistência social e são geridos pela prefeitura, pelo governo estadual ou por entidades particulares.

O infográfico é um dos resultados da pesquisa “Monitoramento de políticas públicas para o atendimento a adolescentes e jovens em situação de uso e abuso de álcool e outras drogas em Belo Horizonte”, realizada pelo Fórum das Juventudes da Grande BH em parceria com a ONG Cipó – Comunicação Interativa e o Ministério da Saúde. Clique aqui para ler o relatório final da pesquisa

A interface entre drogas e juventude é um tema de especial atenção para o Fórum. Para conhecer nosso posicionamento sobre o assunto, acesse o texto Novo Modelo de Política sobre Drogas. Esse é um dos eixos programáticos de nossa plataforma política Juventudes contra Violência, que estabelece 10 pautas prioritárias para que governos e sociedade civil se comprometam com o enfrentamento à violência contra as juventudes.

voltar

PARA
ONDE IR?

“Para onde ir” é um infográfico interativo que apresenta os principais equipamentos voltados ao atendimento de adolescentes e jovens em uso abusivo de drogas na cidade de Belo Horizonte. Indica também alguns dos fluxos mais comuns entre esses serviços, que estão ligados à saúde e à assistência social e são geridos pela prefeitura, pelo governo estadual ou por entidades particulares. Clique ao lado para mais orientações.

ORIENTAÇÕES

No mapa, clique sobre o local que deseja conhecer melhor e acesse as principais informações sobre cada um! Você também poderá saber como cada equipamento se relaciona com os demais no mapa. Para isso, basta clicar em “Fluxos”, ao lado da caixa branca que acompanha cada um.

A cor do círculo onde está cada equipamento sinaliza a instância à qual ele pertence:

Municipal: ligados à Secretaria Municipal de Saúde e à Secretaria Municipal de Políticas Sociais.

Estadual: sua administração é de responsabilidade do governo do estado de Minas Gerais, por meio da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (FHEMIG).

Terceirizados: executados por instituições sem fins lucrativos e geralmente com financiamento público.

Serviços oferecidos:

Atendimento ambulatorial: atendimento em consultório realizado por profissional especializado.

Permanência-dia: recurso terapêutico em que o paciente permanece no serviço durante o dia, podendo incluir atendimento ambulatorial, medicação e atividades para convívio com outros usuários.

Oficinas: atividades coletivas de caráter lúdico, terapêutico ou socioeducativo desenvolvidas junto aos pacientes.

Leitos para desintoxicação: leitos de curta permanência para desintoxicação em casos graves de etilismos ou abuso de outras drogas.

Hospitalidade noturna: oferta de leitos para pernoite de usuários em casos de maior complexidade.

Outros

Escolha aqui o clima da sua cidade:

Ensolarado

Chuvoso

Comunidades terapêuticas

Quem são as pessoas que atendem?
Caros amigos, o novo modelo estrutural aqui preconizado assume importantes posições no estabelecimento das condições inegavelmente apropriadas.

Quem são as pessoas que atendem?
Caros amigos, o novo modelo estrutural aqui preconizado assume importantes posições no estabelecimento das condições inegavelmente apropriadas.

Quem são as pessoas que atendem?
Caros amigos, o novo modelo estrutural aqui preconizado assume importantes posições no estabelecimento das condições inegavelmente apropriadas.

Quem são as pessoas que atendem?
Caros amigos, o novo modelo estrutural aqui preconizado assume importantes posições no estabelecimento das condições inegavelmente apropriadas.

Quem são as pessoas que atendem?
Caros amigos, o novo modelo estrutural aqui preconizado assume importantes posições no estabelecimento das condições inegavelmente apropriadas.

Realização

Parceria

Para onde ir?

Atendimento de jovens em uso abusivo de álcool e outras drogas em BH

“Para onde ir” é um infográfico interativo que apresenta os principais equipamentos voltados ao atendimento de adolescentes e jovens em uso abusivo de drogas na cidade de Belo Horizonte. Indica também alguns dos fluxos mais comuns entre esses serviços, que estão ligados à saúde e à assistência social e são geridos pela prefeitura, pelo governo estadual ou por entidades particulares.

O infográfico é um dos resultados da pesquisa “Monitoramento de políticas públicas para o atendimento a adolescentes e jovens em situação de uso e abuso de álcool e outras drogas em Belo Horizonte”, realizada pelo Fórum das Juventudes da Grande BH em parceria com a ONG Cipó – Comunicação Interativa e o Ministério da Saúde.

PARA ONDE IR?

“Para onde ir” é um infográfico interativo que apresenta os principais equipamentos voltados ao atendimento de adolescentes e jovens em uso abusivo de drogas na cidade de Belo Horizonte. Indica também alguns dos fluxos mais comuns entre esses serviços, que estão ligados à saúde e à assistência social e são geridos pela prefeitura, pelo governo estadual ou por entidades particulares.

ORIENTAÇÕES

No mapa, clique sobre o local que deseja conhecer melhor e acesse as principais informações sobre cada um! Você também poderá saber como cada equipamento se relaciona com os demais no mapa. Para isso, basta clicar em “Fluxos”, ao lado da caixa branca que acompanha cada um.

Escolha aqui o clima da sua cidade:

Ensolarado

Chuvoso

A cor do círculo onde está cada equipamento sinaliza a instância à qual ele pertence:

Municipal: ligados à Secretaria Municipal de Saúde e à Secretaria Municipal de Políticas Sociais.

Estadual: sua administração é de responsabilidade do governo do estado de Minas Gerais, por meio da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (FHEMIG).

Terceirizados: executados por instituições sem fins lucrativos e geralmente com financiamento público

Serviços oferecidos:

Atendimento ambulatorial: atendimento em consultório realizado por profissional especializado.

Permanência-dia: recurso terapêutico em que o paciente permanece no serviço durante o dia, podendo incluir atendimento ambulatorial, medicação e atividades para convívio com outros usuários.

Oficinas: atividades coletivas de caráter lúdico, terapêutico ou socioeducativo desenvolvidas junto aos pacientes.

Leitos para desintoxicação: leitos para curta permanência para desintoxicação em casos graves de etilismos ou abuso de outras drogas

Hospitalidade noturna: oferta de leitos para pernoite de usuários em casos de maior complexidade.

Outros

Comunidades terapêuticas

Quem são as pessoas que atendem?
Caros amigos, o novo modelo estrutural aqui preconizado assume importantes posições no estabelecimento das condições inegavelmente apropriadas.

Quem são as pessoas que atendem?
Caros amigos, o novo modelo estrutural aqui preconizado assume importantes posições no estabelecimento das condições inegavelmente apropriadas.

Quem são as pessoas que atendem?
Caros amigos, o novo modelo estrutural aqui preconizado assume importantes posições no estabelecimento das condições inegavelmente apropriadas.

Quem são as pessoas que atendem?
Caros amigos, o novo modelo estrutural aqui preconizado assume importantes posições no estabelecimento das condições inegavelmente apropriadas.

Quem são as pessoas que atendem?
Caros amigos, o novo modelo estrutural aqui preconizado assume importantes posições no estabelecimento das condições inegavelmente apropriadas.